in

Saiba o que é a endocardite bacteriana, seus sintomas e causas

Os cuidados com a higienização bucal são essenciais para evitar diversos desconfortos e sintomas desagradáveis, como o mau hálito. No entanto, as mais de 700 espécies de microrganismos presentes na boca, em desequilíbrio, podem causar doenças graves como a endocardite bacteriana.

Esses micróbios que podem ser encontrados naturalmente na cavidade oral são responsáveis pelo auxílio no processo digestivo, além de serem necessários para a defesa do organismo. 

Mas eles também formam um biofilme, quando em quantidade e ph inadequado, que reveste os dentes e utilizam dos açúcares, presentes nos alimentos, para a produção de ácidos corrosivos aos dentes.

Esses materiais corrosivos e ação da bactéria, bem como seu acúmulo, podem irritar as gengivas causando doenças inflamatórias como a gengivite e a periodontite.

O que é a endocardite bacteriana?

Como sugere o nome, a endocardite é uma inflamação do endocárdio – que, por sua vez, é a membrana que cobre toda a parte interna das estruturas do coração. Mas como os dentes podem causar uma doença cardíaca?

As inflamações gengivais mais graves, como é o caso da periodontite, atacam os tecidos bucais mais profundos espalhando a inflamação para os ossos faciais e os tecidos de sustentação dos dentes. 

Quando não tratada adequadamente, essas bactérias podem atingir os vasos sanguíneos se alastrando para várias partes do corpo.

Em pacientes com histórico de problemas cardíacos ou lesões no endocárdio, o sangue contaminado pode aumentar os riscos de infecção bacteriana desses tecidos, causando uma inflamação grave que pode resultar na internação hospitalar e até no óbito.

Como a doença se manifesta

Essa doença pode ser aguda ou subaguda, o que significa que os sintomas podem aparecer de forma súbita ou ir se desenvolvendo ao longo de um ano ou mais. 

O desenvolvimento dos sinais que a enfermidade apresenta varia de acordo com a origem das bactérias. Isso porque elas podem ser provenientes de infecções bucais, da pele ou acarretadas por infecções sexualmente transmissíveis. 

Além de poder ser ocasionadas pelo uso de agulhas e cateteres ou em procedimentos cirúrgicos mais invasivos, principalmente se não for devidamente avaliado.

Os sintomas principais são:

  • Febre e calafrios;
  • Dor muscular;
  • Exaustão;
  • Tosse contínua e falta de ar;
  • Sangramento urinário;
  • Sudorese noturna;
  • Náusea e vômitos;
  • Manchas avermelhadas ou arroxeadas na pele.

Se o paciente notar a presença desses sintomas, é importante realizar a consulta com um cardiologista ou, dependendo da severidade do caso, a ida imediata ao serviço de pronto-socorro.

Quais são os efeitos causados no corpo

Os pacientes que tenham realizado cirurgias recentes seja uma mais invasiva ou para a colocação de implante dentário devem realizar o devido acompanhamento pós-cirúrgico.

Isso porque nesses casos ou para pessoas que já têm doenças cardíacas são mais suscetíveis ao desenvolvimento da infecção mais severa. 

De qualquer modo, as bactérias causadoras da endocardite podem acarretar na destruição da válvula cardíaca, levando o paciente a óbito em pouco tempo.

Além disso, essas bactérias podem causar infarto, insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral (AVC), embolia pulmonar e a infecção dos tecidos de diversos órgãos como os rins, fígado e útero. 

É possível, ainda, encontrar as bactérias bucais no cérebro, e ver o seu efeito no impedimento da irrigação sanguínea dos membros ou como motivo do infarto renal.

Tipos de tratamento

O tratamento tem duração de quatro semanas e é constituído pela administração de antibióticos via venosa. O tipo de medicamento varia de acordo com o tipo de bactéria causadora do problema.

Em casos em que a doença comprometa a válvula cardíaca, o transplante cirúrgico pode ser necessário.

Prevenções

Por se tratar de uma doença que possui uma taxa de mortalidade muito alta, o melhor remédio sempre será a prevenção. 

A higienização bucal – composta pela escovação, uso do fio dental, enxague bucal e a limpeza apropriada do aparelho ortodôntico ou até mesmo um clareamento dental no caso de pacientes ortodônticos –, em conjunto com visitas de rotina  aos profissionais de saúde é primordial para evitar a progressão da inflamação gengival e seus impactos no corpo.

Já pacientes que possuem implante cardíaco precisam utilizar antibióticos antes de qualquer procedimento invasivo ou que envolva a gengiva. 

Também é necessário que esses pacientes estejam atentos aos tratamentos de clareamento dental, pois eles podem causar irritações nos tecidos bucais. 

Nesse caso, o mais indicado é realizar o procedimento apenas em consultório e com o profissional, após as devidas análises.

Por isso, também é necessário avisar o seu dentista sobre o quadro de saúde cardíaca antes de qualquer procedimento odontológico.

Cabe ressaltar que as inflamações gengivais também podem se tornar mais comuns em pessoas que fazem tratamento com aparelho dentário. 

Isso porque o acessório pode causar dificuldades na escovação e na passagem do fio dental, principalmente se os itens usados forem inadequados. Mas lembre-se que isso não pode ser motivo do abandono dessas ações.

O paciente que tiver mais dificuldade na rotina de higienização bucal deve pedir auxílio ao dentista para instruções adaptadas e até a disponibilização de passadores de fio dental, que podem ajudar no processo. 

Problemas com o aparelho móvel ou a prótese dentária também devem ser reportadas ao dentista, para garantir que não ocorra nenhum ferimento gengival, de modo que a cavidade não fique mais exposta às bactérias.

Por fim, é recomendado que as pessoas que sofram de doenças sistêmicas, como a diabetes e doenças cardíacas, realizam visitas odontológicas a cada quatro meses para a realização de limpezas profundas e a detecção precoce de doenças bucais, tornando a cavidade mais resistente e evitando os riscos de inflamações. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estratégia de marketing para escritórios crescentes de coworking

Como adicionar puffs e poltronas à sala de estar?