in

O que é arquétipo de marca?

arquétipo

Um novo conceito implementado cada vez mais nos negócios é o de arquétipo, o qual se refere a uma série de conceitos relacionados com a sua imagem e suas características, englobando sua imagem, valores, visão, missão e mais. 

Ele existe em diferentes tipos e conceitos, abrangendo diferentes conceitos e objetivos e se adaptando a cada empresa e seus desejos. 

Assim, a sua compreensão permite a categorização das marcas e a compreensão de seus posicionamentos. 

Ao que se refere o arquétipo?

Da mesma forma que as pessoas possuem suas próprias personalidades, visões de mundo e valores, as marcas são obrigadas a encontrar atributos que possibilitem demonstrar essas características e criar conexões reais com o seu público. 

Por exemplo, uma empresa de serviço de limpeza para condomínio que mostra aos seus clientes que valoriza a preservação do meio ambiente passa a ser mais humanizada e facilita aos clientes se identificarem com seus propósitos. 

De forma simplificada, os arquétipos são um mecanismo básico de implementar estratégias de marketing de qualidade com base na manipulação e acionamento de gatilhos mentais a partir de pontos importantes, como os valores. 

Os negócios que conseguem definir com maior qualidade sua personalidade e se comunicar da melhor forma conseguem atingir um público maior, transpassando mais confiança de um jeito mais simples.

No conceito mais estrito e profissional, o arquétipo é um padrão que tem como objetivo moldar indivíduos, objetos, ideias e criações. 

Esse conceito foi criado seguindo a ideia de inconsciente coletivo, o qual seria como um conjunto dos materiais transferidos pelas gerações e possuem traços em comum para todos os indivíduos. 

Isso porque o criador cria que os arquétipos eram as motivações básicas das pessoas, ou seja, seus valores, traços relacionados à personalidade, crenças e poderiam ser divididas em 12 tipos. 

Assim, essas variações seriam essenciais para o acúmulo de experiência e evolução das pessoas, gerando emoções e conexões entre as pessoas a partir da interação e demonstração desses traços. 

Portanto, quando uma empresa aplica esse conceito e cria suas ações baseadas nesses tópicos, ela é capaz de ser vista como um outro indivíduo e cria conexões mais verdadeiras com os seus consumidores, essencial para o seu desenvolvimento geral. 

Por que é importante desenvolver um arquétipo?

Com essas informações, é possível concluir que o estabelecimento de um arquétipo é algo muito interessante para uma marca. 

Para deixar mais clara essa necessidade, serão analisados alguns motivos a seguir. 

Garante a ela marcar presença

Colocando de uma maneira mais prática, é muito mais fácil lembrar de uma pessoa que se posiciona sobre seus valores e tem opiniões e personalidade fortes do que alguém que opta por não se posicionar ou prefere não comentar muito sobre tais pontos. 

A mesma coisa acontece com as empresas, aquelas que possuem traços mais marcantes e se posicionam sobre todos os assuntos que acha importante conseguem atrair a atenção dos consumidores com grande facilidade. 

Já com empresas que agem de forma oposta, é muito mais complicada essa situação, devido ao simples fato de que elas não se expõem e não marcam presença em seu mercado, o que acaba gerando um apagamento.

Por exemplo, se uma loja de tinta para azulejo de banheiro e cozinha mostra para todos que apoia a sustentabilidade, ela fica comentada entre os clientes, uma vez que eles percebem a atitude e conversam sobre.

Se ela ficasse mais quieta e sem posicionamento, eles não teriam o que comentar sobre ela, deixando-a mais apagada, fora o fato de que seria muito mais difícil estabelecer uma conexão, pois não existem pontos claros em comum. 

Possibilidade de se destacar em meio à concorrência

Como consequência do tópico anterior, quando uma empresa consegue ser lembrada de forma mais fácil pelos consumidores, ela encontra uma forma de se destacar perante seus concorrentes. 

Isso porque, quando os clientes precisarem comprar algum produto do nicho ou algo do tipo, a própria empresa virá a sua mente, garantindo que ela a escolha, ao invés de optar por outras marcas. 

Por exemplo, se um usuário precisa comprar resina epóxi transparente, haverá inúmeras opções de marcas para optar, contudo ele optará por aquela que possui os valores mais compatíveis com os seus e que marca presença no mercado.

Para isso, o negócio precisa expor seus valores e posicionamentos, deixando claro para os consumidores formas de se conectar e garantindo que ela seja notada, lembrada e acessada para a venda. 

Vende-se mais que um produto

Com o crescimento da empresa, ela deixa de vender apenas um produto ou uma ideia, ela consegue definir uma personalidade tão forte que faz o cliente optar por ela, pois é vendedora de um estilo de vida completo.

É criada toda uma essência por trás de seus produtos e vendas, instruindo o cliente não apenas a adquirir um produto, mas um bem de consumo específico e importante, refletindo também no seu dia a dia. 

Por exemplo, uma cafeteria muito conhecida que consegue alcançar esse ponto de destaque é capaz de fazer com que as pessoas comprem o seu café, pagando moto frete apenas para consumir uma bebida simples e muito vendida, mas da sua empresa. 

Basicamente, os arquétipos transpassam a ideia de investir apenas na necessidade de um consumidor obter algo. 

Eles focam no desejo, nas implicações sociais e na implementação de gatilhos emocionais direcionados à compra específica. 

Mudança do comportamento dos consumidores

É muito importante destacar que o comportamento dos consumidores está mudando constantemente, e nas últimas atualizações, ele parou de se contentar com a ideia de se contentar com discursos rasos e sem profundidade. 

Os compradores estão valorizando cada vez mais a criação de conexões reais com as marcas que irão prover seus produtos, exigindo que elas tenham valores e ultrapassem a ideia de apenas tentar lhes vender algo. 

Sendo assim, por parte do arquétipo, gerar valor e conseguir demonstrá-lo com eficiência é parte essencial do trabalho da empresa, exigindo dela uma comunicação boa para transpassar essa imagem. 

Por isso, para uma empresa que cria e vende rede para sacada é essencial que ela deixe clara para seus clientes a mensagem de material reciclável utilizado e com mínima poluição, permitindo que eles compreendam a empresa como mais do que apenas uma vendedora. 

Quais os principais arquétipos?

Como citado no início, existem 12 tipos de arquétipos: 

  1. O inocente;
  2. O sábio;
  3. O herói;
  4. O fora da lei;
  5. O explorador;
  6. O mago;
  7. A pessoa comum;
  8. O amante;
  9. O bobo;
  10. O cuidador;
  11. O criador;
  12. O governante.

Assim sendo, alguns possuem mais destaque do que outros.

O arquétipo do inocente é referente àquela empresa que luta pelo bem de seus consumidores, buscando sempre entregar o produto adequado.

A partir do compartilhamento de coisas boas e mantendo um laço profundo de amizade com eles. 

Por exemplo, uma empresa que constrói deck de madeira para piscina que se encaixa nesse tipo cria suas publicidades se baseando em transmitir alegria e entregar coisas boas, ao mesmo tempo que cumpre suas promessas e continua otimista. 

Já o arquétipo do explorador é algo mais direcionado a construir uma jornada realizada por experiências marcantes para seus compradores. 

É algo caracterizado por contar histórias e focar em aventuras, instigando liberdade e curiosidade. 

Um exemplo, uma empresa de cerca elétrica concertina pode juntar a sua publicidade com marcas de carro se divertindo por grandes campos e mantendo a segurança da residência, investindo no estilo aventureiro de seus consumidores.

Um último arquétipo a ser descrito é o do cara comum, no qual as marcas preferem voltar seu discurso para a simplicidade e evitando os artificialismos. Para elas, o comum é ser simples. 

Isto é, um negócio de construção de poço foca em manter o seu produto simples, englobando um cenário natural e puro, como a partir de uma publicidade sem muitos efeitos ou uso de aparatos super desenvolvidos. 

Como desenvolver este arquétipo?

Sendo assim, existem algumas dicas muito interessantes para o desenvolvimento de um arquétipo, visando uma aplicação correta e eficiente, seguem elas:

  • Análise a empresa para entender seu próprio arquétipo;
  • Conheça o arquétipo a ser utilizado;
  • Tente incorporar suas qualidades no cotidiano;
  • Procure sobre outras marcas, seus arquétipos e suas ações;
  • Aplique-o nas histórias contadas pela marca;
  • Deixe-o claro para os consumidores;
  • Alinha o arquétipo aos conteúdos publicados.

Portanto, a partir dessas ações uma empresa consegue aplicar o seu arquétipo e entregá-lo a seus clientes de forma muito mais simples e prática, permitindo o seu desenvolvimento correto. 

Conclusão

Em suma, os arquétipos são características profundas e valores dos negócios, transpassando a ideia de apenas vender um produto ou serviço aos consumidores. 

Dessa forma, eles se tornaram um ponto essencial para qualquer empresa, exigindo o seu conhecimento geral e de suas características, como a partir do que foi tratado ao longo deste artigo, para a sua aplicação correta. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

infográfico

O que é um infográfico e como elaborar?

redação

4 dicas para desenvolver uma boa redação publicitária?