in ,

10 tendências do comércio eletrônico para os próximos anos

Conheça caminhos de crescimento do e-commerce apontados para futuro não muito distante 

O ano de 2020 marcou uma acentuada expansão do comércio eletrônico, principalmente por causa da pandemia. E o crescimento em 2021 continua: só no primeiro semestre foi de 31% em comparação com o mesmo período do ano passado. 

Novos avanços devem impulsionar as compras online, e aqui listamos as principais tendências para o setor. Algumas já estão em nosso dia a dia e vão se fortalecer; outras, são quase realidade.

1. Personalização da experiência: estudos apontam que empresas que apostam na customização da experiência de compra têm maior receita. Os dados coletados com o uso da inteligência artificial (IA) oferecem aos compradores recomendações personalizadas e um atendimento mais detalhado. Junto ao uso da Realidade Aumentada, que ajuda na decisão da compra, isso mostra que o mercado seguirá investindo em tecnologias avançadas para seduzir os consumidores

2. Busca por voz: segundo pesquisa recente da Ilumeo, 70% dos brasileiros preferem marcas que oferecem assistente de voz. No Brasil, muitas lojas online perceberam a importância desse recurso e já utilizam a busca por voz em seus sites. Conforme os alto-falantes inteligentes forem adotados nas residências, mais consumidores usarão a pesquisa por voz em compras online por exemplo produtos para sublimação , pedidos de comida, artigos esportivos, etc; tudo isso pode organizar suas vidas. 

3. Compras por vídeo: se antes as marcas usavam vídeos para atrair um cliente e informá-lo sobre seu produto ou serviço, agora estes viraram uma ferramenta de venda. Plataformas como Instagram já permitem a compra de produtos diretamente de seus vídeos do IGTV. 

4. Conteúdo autêntico: destacar-se em um mar de conteúdo nas redes sociais continua sendo um dos maiores desafios do varejo. E marcas capazes de criar um conteúdo autêntico em seus próprios canais de comércio eletrônico chamam mais a atenção, como, por exemplo, o TikTok do The Washington Post, que traz vídeos divertidos em cima da pauta jornalística do dia.[Quebra da Disposição de Texto] 

5. Compras pelo celular: já representam mais de 70% do varejo online mundial. Segundo pesquisa de 2020 do Panorama Mobile Time e da Opinion Box, 91% dos brasileiros com smartphone já compraram no mobile, e valorizam a conveniência adicional e a capacidade de pagar digitalmente que estes dispositivos móveis oferecem.

6. Sustentabilidade: consumidores estão mais conscientes com relação às pautas ESG, que destacam as práticas ambientais, sociais e de governança das empresas. Mais embalagens e tecidos recicláveis, mais respeito às causas de gênero e inclusão, parcerias com ONGs, entre muitas outras atitudes: o que vale é reconhecer que as pessoas estão atentas sobre a responsabilidade das marcas e o impacto que geram no planeta.

7. Experiência omnichannel: propor conexões entre a loja física e virtual é cada vez mais necessário. Apesar do consumo forte no varejo online, isso não acaba com o varejo físico. A Amaro é um exemplo disso, que, apesar de focar sua experiência no online, tem espaços físicos que funcionam como “guide shop”, onde o cliente também pode escolher um produto e comprar.

8. Atendimento automatizado: feito com os chatbots, que interagem com os compradores da mesma forma que um vendedor na loja faria. Por meio de palavras-chave e da inteligência artificial, esses robôs identificam a necessidade dos clientes e respondem de forma rápida e assertiva. Quanto mais forem alimentados para essa interação, mais poderosos serão como ferramentas de venda.

9. Crescimento do B2B: assim como o consumidor final, o comprador B2B tem se tornado mais maduro e exigente. Uma pesquisa global da McKinsey & Company mostra que o cliente B2B usa até 20 canais (digitais e tradicionais) para se informar sobre produtos e comparar preços. Atender às exigências deste cliente, oferecendo melhores experiências de compra e estabelecendo relacionamentos contínuos, é fundamental para se manter competitivo e garantir vendas a médio e longo prazo.

10. Mais maneiras de pagar: oferecer várias formas de pagamento é uma boa forma de aumentar as taxas de conversão nas vendas online. Neste sentido, comprar Bitcoin tem se mostrado uma solução mais moderna para fazer compras na internet. Por usar a tecnologia blockchain, mais rápida e que dificulta fraudes, as criptomoedas estão se disseminando como uma forma eficiente de consumir com segurança no ambiente online. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

coworking

Ambiente coworking: Por que ter esse tipo de recurso em uma organização?

atendimento

Atendimento publicitário: como desenvolver esta ferramenta?